30/11/2012

Dignidad del sacerdocio católico


O sacramento da Ordem.
Foto

Pe. Julio Lancellotti via Norma Castellani


Gravura com Beato Charles de Foucauld, falecido há 96 anos


Julio Lancellotti compartilhou a foto de Marco Antônio.
Veja:  
Gravura com Beato Charles de Foucauld


Meninos, com certeza sentiram saudades!


A Missão na dinâmica da realidade

Padre Jaime C. Patias *
A sociedade brasileira é multiétnica e pluricultural fruto da miscigenação racial e de fenômenos migratórios. Assistimos a uma série de manifestações de pensamento, opções, tendências e comportamentos. Hoje não há uma força hegemônica que aglutine os valores éticos religiosos como havia no passado. A revolução cultural produzida pela modernidade e pós-modernidade provocou efeitos positivos de liberdade, emancipação, democracia, direitos humanos e consciência ecológica. Causou também os fenômenos do relativismo, hedonismo e individualismo afetando instituições sólidas como a família, a escola e as igrejas.
Na economia, o Brasil está em franco crescimento. Ocupa o sexto lugar como potência econômica mundial onde goza de prestígio e amplia as ralações com países de todos os continentes. A era Lula salvou o capitalismo internacional. O "sucesso" econômico baseia-se na estabilidade monetária, exportação de commodities no setor agrícola, pecuário e mineral, avanços tecnológicos e industriais, e nas grandes obras através do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC. Esse "neo desenvolvimentismo" acelera a degradação do meio ambiente e causa violação de direitos fundamentais conquistados pela classe trabalhadora, pequenos agricultores, povos indígenas e afrodescendentes. Verifica-se também a falta de vontade política para implementar reformas estruturais (política, fiscal, agrária, previdenciária). Os movimentos sociais, atrelados ao governo, vão perdendo sua garra de promover os direitos dos mais pobres. Envolvidos em contínuos escândalos, o Congresso e o Senado estão desmoralizados.
O aumento real do salário aqueceu a economia e democratizou o consumo. Os programas sociais do governo beneficiam 50 milhões de pessoas e já tiraram pelo menos, 19 milhões da miséria, mas, ao mesmo tempo, levaram muitos à acomodação. O índice do desemprego no país caiu. Apesar disso, a desigualdade social entre os que ganham mais e os que ganham menos é gritante. A busca acirrada pelo ter exacerba a competitividade, provoca doenças psicossomáticas e eleva o consumo de antidepressivos, além de endividar as famílias. Uma boa parcela da população desiste da luta e entra na marginalidade onde cresce o consumo de drogas e entorpecentes. As políticas demográficas resultaram em uma diminuição drástica no índice de natalidade o que causou, em pouco tempo, um envelhecimento da população.
A corrupção e a violência continuam com índices muito altos. As famílias sem-terra somam aproximadamente cinco milhões, os Povos Indígenas e quilombolas não conseguem garantir seus direitos à terra previsto pela Constituição. Os meios de comunicação são monopólio de poucas famílias ou grupos econômicos e políticos poderosos. Essa concentração manipula a opinião pública, torna a comunicação pouco democrática e não permite avançar com as mudanças necessárias. Grupos mafiosos influentes e algumas quadrilhas circulam pelos poderes do Estado de direito em todos os níveis misturando-se com instituições democráticas de direito.
No campo religioso, a Igreja católica vem perdendo sua hegemonia no percentual de fiéis. Cinquenta anos atrás contava com mais de 90% da população, hoje caiu para 64,6%. É preocupante a ausência dos jovens e a dificuldade de abordá-los. A juventude está nas redes sociais, considerada como uma nova "ambiência" ou um diferente espaço de relações onde a Igreja ainda não aprendeu a "pescar". A diversificação da sociedade, a modernização e o acesso a novas tecnologias fazem com que o brasileiro tenha mais liberdade de se declarar não católico, indiferente ou sem religião. Os evangélicos de diversas expressões ocupam sempre mais espaço na mídia e na política, mas o triunfalismo religioso pentecostal de tendência mercadológica e da teologia da prosperidade começa a perder força conforme a população supera sua consciência ingênua. A Igreja Universal (IUR) perdeu 10% de seus fiéis. Cresce o desejo de voltar aos textos bíblicos.
Em certos setores da Igreja católica, há sinais de retrocessos, com tendências conservadoras que dificultam e questionam até mesmo os avanços do Concílio Vaticano II. Isso é visível na formação do clero, nas orientações pastorais de algumas dioceses, em comunidades e movimentos de tendências intimistas e em setores da mídia católica. As Comunidades Eclesiais de Base - CEBs e Pastorais sociais seguem vivas e atuantes, porém, sofrem investidas constantes de movimentos conservadores. O projeto eclesial e pastoral das CEBs se enfraqueceu e a linguagem da Teologia da Libertação embora tenha deixado sua marca esta perdendo incidência. Continua a desproporção entre as necessidades urgentes de Evangelização e o número e qualidade de evangelizadores.
Animada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB e por uma Vida Religiosa numerosa e ativa, (50 mil religiosos), apesar dos desafios, a Igreja segue a sua Missão contando com a dedicação e a Fé dos leigos e leigas que pedem mais espaço. As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora, (2011- 2015) inspiradas no Documento de Aparecida (2007) destacam urgências para colocar a Igreja em estado permanente de missão. De certa forma, a Igreja recolocou a Missão no centro da sua vida impulsionada pelo Espírito de Deus presente e atuante no meio do povo. As Pontifícias Obras Missionárias - POM e vários organismos estão empenhados na reflexão, animação e articulação para que a Igreja assuma com maior empenho seu compromisso com a Missão ad intra, inter gentes e ad gentes.
Inseridos nessa realidade somos desafiados a fazer opções e definir propostas operativas para tornar visível a Missão segundo o desejo e o mandato do Mestre.
* Jaime Carlos Patias, IMC, é Secretário Nacional da Pontifícia Obra União Missionária e assessor de imprensa das POM.
Fonte: www.pom.org.br

Há 96 anos morreu Charles de Foucauld



Padre Geovane Saraiva*
A vida do Bem-aventurado Charles de Foucauld, com seu martírio, no dia 1º de dezembro de 1916, não foi um valor em si mesmo. Mas foi consequente, com muitos motivos, ao entrar numa profunda sintonia com o Deus, na coragem do heroísmo profético, chamando nossa atenção para o conflito, porque mergulhar no Evangelho é mergulhar nos conflitos e nas tempestades (cf. Mt 14, 26-32)

Da incredulidade, indiferença, egoísmo e impiedade, caiu nas mãos de Deus. Foi arrebatado e seduzido por Jesus de Nazaré, tornando-se o único e maior tesouro de sua vida. “Se alguém está em Cristo é uma mova criatura. Passaram-se as coisas antigas” (2Cr 5, 17). Charles de Foucauld nasceu na França e viveu de 1858 a 1916. No dia 30 de outubro de 1886 se submeteu a vontade de Deus, ajoelhando e confessando os seus pecados.

Experimentou uma alegria inexprimível, a alegria do Filho pródigo. Foi beatificado no dia 13 de novembro de 2005 pelo Papa Bento XVI. Seu testemunho e sua mística encantaram os seus seguidores no mundo inteiro, numa grande paixão e fascínio per Jesus de Nazaré, concretizado no amor e na solidariedade para com os que estão longe do convívio social, os pobres e excluídos, buscando na Eucaristia a força necessária para concretizar o projeto de amor.

A partir da Eucaristia amou as pessoas do mundo inteiro. O Beato Charles de Foucauld, indo habitar e levando a Eucaristia para os irmãos no Deserto do Saara, tornou-se o homem da ternura e da compaixão, com uma enorme vontade de ser amigo de todos, bons e maus, de amar a todos, indistintamente e ser de verdade o irmão universal. Toda sua vida foi um profundo ato de amor: “Tão logo que acreditei que existia um Deus, compreendi que não podia fazer outra coisa, senão viver só para ele”.

O caminho da contemplação e da oração deve ser o itinerário dos seus seguidores e admiradores. Ele sempre se colocou no último lugar, com sua vida em harmonia com o Evangelho, reservada e discreta, não se esforçando para converter ninguém, mas querendo fazer uma única coisa: “proclamar bem alto o Evangelho com a própria vida”.

O grande mérito do Irmão Charles de Fuocauld foi viver o Evangelho no meio dos conflitos e das tempestades, distanciando-se da “bondade”, como era conhecida no seu tempo. Não se contentando e até se indignando com o anúncio do Evangelho que não satisfaz, não converte e não transforma. Procurou assemelhar-se a Jesus de Nazaré em tudo, sobretudo, na paixão e no calvário. Seu martírio foi consequência da sua opção pelo Evangelho e a justiça do Reino.

Charles de Foucauld traçou um caminho para os seus seguidores, propondo-lhes o caminho da cruz e do Evangelho. Portanto, ao ouvir algo do irmão querido, com sua vida e seus escritos, é impossível permanecer na indiferença. Ele nos conduz e nos arrasta ao seguimento de Jesus de Nazaré, seu “bem-amado no Senhor”.

Cristo precisa de nós, não como admiradores, cheios de sentimentos, mas como seguidores. Que a voz profética deste irmão muito querido não cale jamais e que as pessoas de boa-vontade se inspirem no Irmão Universal para descobrir o caminho da contemplação e da oração, o caminho de Deus, tão bem percorrido pelo querido irmão Carlos de Jesus, o irmão Carlos de Foucauld.

*Padre da Arquidiocese de Fortaleza, Escritor, Membro da Academia de Letras dos Municípios do Estado Ceará (ALMECE), e da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza.
Pároco de Santo Afonso

Autor dos livros:                        
“O peregrino da Paz” e “Nascido Para as Coisas Maiores” (centenário de Dom Helder Câmara);
“A Ternura de um Pastor” - 2ª Edição (homenagem ao Cardeal Lorscheider);
“A Esperança Tem Nome” (espiritualidade e compromisso);
"Dom Helder: sonhos e utopias" (o pastor dos empobrecidos).



Ronaldo Rodrigues curtiu uma foto.



Se a morte fosse o fim de tudo...


Dina Emanuel compartilhou a foto de Evandro Nano.
Foto

Guardare tutto, tollerare molto e corregere poco




 Padre Geovane Saraiva*  - Tradução: Lucas Lanzottena

Carlo Borromeo nacque vicino alla cittá di Milano (Italia) nel 1538, in un'epoca profondamente segnata dal nepotismo. Sua madre era una donna con molta fede e pietá, col privilegio d'esser la sorella di Papa Pio IV. Lei curó con molto affetto l'educazione del figlio in tutti i sensi, specialmente la moralitá e religiositá. Carlo Borromeo era un giovane intelligente e aperto alla realtá del mondo della sua epoca, era un ottimo alunno del corso di Diritto all'Universitá di Pavia (cittadina a circa 40Km da Milano). Sappiamo che le virtú sono eccelse e in questo senso Dio gli donó la virtú di incontrare le persone, accoglierle e trattarle bene.
Pio IV lo chiamó nella cittá eterna e lo nominó Cardinale e Arcivescovo di Milano, ad appena 22 anni, anche se non era sacerdote. Il giovane Carlo Borromeo ricevette i voti - Prete e Vescovo. All'inizio, la carriera ecclesiastica, non sembrava entusiasmente per chi sognava la riforma della Chiesa. Ma a partir da quel momento in poi, la sua vita si trasformó completamente, segnata da Dio e dalla sua infinita misericordia, pietá e caritá.
Vescovo straordinario e grandioso, per la vigilanza pastorale e splendide virtú, mostrando al mondo il vero senso della Pasqua di risurrezione del Signore, diventando un buon servo fedele, al servizio del Vangelo, alla costruzione del regno di Dio, dalla fervente caritá pastorale, manifestandola specialmente nella cura dei poveri durante l'indimenticabile peste di Milano.
San Carlo Borromeo fa parte dei grandi promotori della rinnovazione della fede e delle usanze, sancite dal Concilio di Trento. Esempio di pastore d'anime, per la sua autroritá e le sue orazioni, con il suo zelo e caritá di pastore. Il suo principio pedagogico era: "guardare tutto, tollerare molto e correggere poco", certamente molto valido anche ai giorni nostri.
Uomo vigoroso, con forza e coraggio incalcolabili, nella sua attivitá di insegnare, santificare e governare, concretamente, causando cambiamenti nelle abitudini e nella mentalitá del suo popolo. Promosse processioni, supplicando la misericordia divina ed il perdono dei peccati. Per dar il buon esempio, il grande Vescovo di Milano, seguí una delle tante processioni a piedi nudi.  


Il suo modo esemplare di vivere, come grande Santo e come Vescovo, fu imprescindibile, al punto che nel secolo XVI circolavano in tutta Europa anguste voci circa riforme all'interno della Chiesa, ad iniziare dai propri pastori: Preti e Vescovi. In qualitá d' Arcivescovo dimostró che compiva i propri doveri, creando modelli e mentalitá diverse, con grande effetto, al punto che si sparse in tutta la Chiesa il suo rinnovo spirituale.
Patrimonio del mondo cristiano, la sua data di nascita per il Signore si ha il giorno 04 Novembre 1584: giorno che la Chiesa commemora la sua festa.

*Padre da Arquidiocese de Fortaleza, Escritor, Membro da Academia de Letras dos Municípios do Estado Ceará (ALMECE), e da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza.
Pároco de Santo Afonso

Autor dos livros:
“O peregrino da Paz” e “Nascido Para as Coisas Maiores” (centenário de Dom Helder Câmara);
“A Ternura de um Pastor” - 2ª Edição (homenagem ao Cardeal Lorscheider);
“A Esperança Tem Nome” (espiritualidade e compromisso);
"Dom Helder: sonhos e utopias" (o pastor dos empobrecidos).

Padre Geovane Saraiva em Quixadá - CE

Santuário Rainha do Sertão Central

No Santuário - pátio

Na porta de entrada do Santuário

Padra da galinha Choca - Açude Cedro

Galinha Choca - Açude Cedro

Com Prof. Océlio Saraiva,  irmão

Projeto do Governo do Ceará: ponte sobre o Cocó


Luiz Gustavo Melo Correia Lima compartilhou a foto de O POVO Online.
Governo do Ceará deve iniciar duas grandes obras em 2013: linha leste do metrô e ponte sobre o Cocó. Entenda os impactos e as polêmicas envolvidos nessas obras: http://bit.ly/V8w5ji

Na foto, o projeto da ponte sobre o Cocó
Governo do Ceará deve iniciar duas grandes obras em 2013: linha leste do metrô e ponte sobre o Cocó. Entenda os impactos e as polêmicas envolvidos nessas obras: http://bit.ly/V8w5ji

Na foto, o projeto da ponte sobre o Cocó

Fortaleza: Canção Nova realiza show “Celebra”


A Comunidade Canção Nova de Fortaleza realiza nesta sexta, 30, o show “Celebra”. A missão da capital cearense celebra 11 anos de evangelização e o evento marca a identidade da missão na cidade trazendo Eliana Ribeiro e Ricardo Sá de Cachoeira Paulista, sede da Comunidade.
As atrações
Eliana Ribeiro – missionária e ministra de música na Comunidade Canção Nova desde 1999. Possui uma das mais belas vozes da música católica brasileira e também responde por outras diversas atividades evangelizadoras. A cantora é presença marcante nos Acampamentos de Oração em Cachoeira Paulista, sede da Canção Nova, nos encontros religiosos e shows católicos em todo o Brasil, Europa, América Latina e Estados Unidos.
Ricardo Sá – Nascido em 15 de fevereiro de 1962, natural de Fortaleza, casado, membro consagrado na Comunidade Canção Nova, é um ardoroso amante da música católica, filho de uma família musical acostumada a participar de serenatas, serestas e festivais de MPB, cresceu acompanhando o pai no violão e a mãe no acordeão e piano. Apaixonado por sua família é um eterno defensor dos valores familiares. Membro da Comunidade Católica Canção Nova, dedica a vida à evangelização especificamente através dos meios de comunicação.
O evento contará ainda com a participação do Ministério Missionário Shalom e a Banda Luminus, sendo realizado no Ginásio Aécio de Borba, no bairro Benfica, em Fortaleza. Os ingressos estão sendo vendidos na sede da comunidade, lojas Canção Nova, Shopping Pizza e Escritório da Renovação Carismática Católica de Fortaleza.
SERVIÇO
Show CELEBRA Canção Nova
Eliana Ribeiro, Ricardo Sá, Missionário Shalom e Banda Luminus
Dia 30 de novembro a partir das 7h
Ginásio Aécio de Borba – Rua Paulino Nogueira, s/n. Benfica.
Ingressos: Pista/arquibancada R$ 10 / Cadeiras R$ 20,00
Informações: 3391 4065 / fortaleza.cancaonova.com
Notícia da Canção Nova

Experiência missionária no Museu de Mação


PORTUGAL
Cinema documental
Experiência missionária no Museu de Mação
Texto Francisco Pedro | Foto FM | 30/11/2012 | 11:17
Padre André Ribeiro com os Yanomami, em 1994
A atividade dos missionários da Consolata com o povo indígena Yanomami, na floresta da Amazónia, estará esta sexta-feira em destaque no Museu Instituto Terra e Memória, em Mação
IMAGEM
O Ciclo de Cinema Documental promovido pelo Museu de Arte Sacra e Etnologia (MASE), de Fátima, cumpre esta sexta-feira, 30 de novembro, mais uma etapa com a projeção do documentário «Yanomami – o povo da floresta», a partir das 21h00, na sala Mundus do Instituto Terra e Memória, em Mação. 

O vídeo aborda a atividade dos missionários da Consolata junto das comunidades indígenas Yanomami, no Brasil, para as apoiar na defesa dos direitos às suas terras, invadidas pelos garimpeiros e madeireiros, e mostra alguns aspetos culturais desta tribo, que é uma das que ainda se encontra relativamente isolada, na América do Sul. 

Para comentarem as imagens e responderem às questões dos espectadores foram convidados o padre André Ribeiro, um dos missionários que trabalhou diretamente com os Yanomami, e o diretor do MASE, Gonçalo Cardoso. A quarta edição do Ciclo de Cinema Documental é dedicada ao tema «Diferentes formas de ser: o museu e a etnografia».

Festa da Padroeira de Pacoti


Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Pacoti - Ce que pertence a Região Episcopal Serra Nossa Senhora das Palma dá início, hoje, aos festejos de sua padroeira, que prosseguem até 8 de dezembro. Pe. Mascarenhas está convidando as famílias da paróquia, comunidades, grupos e escolas para abrilhantar ainda mais esse momento festivo. Durante os festejos de hoje às 5 horas, caminhada; às 12 horas, reza do Ofício de Nossa Senhora; às 19 horas, novena e Missa abordando um tema em cada dia com Padres Convidados, e Parte Social com leilão, barracas com comidas típicas, Cristoteca.
Hoje, dia 30 de novembro, acontece em Pacoti, às 5h da manhã Caminhada em direção à residência da Sra. Patrícia, no Sítio Vila Socorro; às 12h, Reza do Ofício de Nossa Senhora; às 18h, Procissão saindo da Igreja Matriz e Hasteamento da Bandeira; às 19h, Novena e Missa de abertura da Festa de Nossa Senhora da Conceição presidida pelo Pe. Edmilson de Baturité abordando o tema “Maria, Alegria de ser a Escolhida de Deus”, animada pela Comunidade de Santana e Ruas Coronel Epifânio, Pe. Erfo, Cel. Luz e Pe. Quiliano. As comunidades convidadas da noite: Santana, Areias, Serra Verde e Santa Madalena terminando com a Parte Social.
  No dia 8 de dezembro, em Pacoti, às 5h da manhã Caminhada em direção ao Santuário de Nossa Senhora do Globo, seguido de Café Comunitário no Salão de Reuniões da Paróquia; às 12h, Reza do Ofício de Nossa Senhora; às 17h, Procissão e Missa de encerramento campal presidida por Dom José Luiz de Vasconcelos, bispo auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza concelebrada com Pe. João Mascarenhas, terminando com a Parte Social.  Informações pelo telefone  (85) 3325 1120, na secretaria paroquial. 

Fonte: Pascom da Arquidiocese de Fortaleza

ANIVERSÁRIO NATALÍCIO DO PADRE GABRIEL

Os paroquianos de São João Eudes, no bairro Luciano Cavalcante, comemoraram, na última quinta-feira, na Casa de Formação, mais um aniversário do seu pároco, Gabriel Mendoza Morales, muito querido pelas cinco comunidades paroquiais: Menino Deus, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora da Misericórdia, Nossa Senhora da Libertação e Santa Luzia.
O padre Gabriel agradeceu a presença dos presentes, a maioria casais, e aproveitou para relembrar fatos sobre a sua chegada ao Ceará, inclusive relatando o acolhimento que teve por parte de pessoas, que preferiu não citar nomes, para não desagradar a alguns. Depois, todos participaram de um jantar, mas antes cantaram o tradicional "Parabéns pra você". 

A peça de teatro da vida

A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.

Charles Chaplin

A vida é muito para ser insignificante

Mensagem de Charles Chaplin

Verdades que eu insisto em dizer brincando


Se você tivesse acreditado na minha brincadeira de dizer verdades, teria ouvido as verdades que eu insisto em dizer brincando. Falei muitas vezes como um palhaço, mas nunca desacreditei na seriedade da platéia que sorria.

(Charlie Chaplin)

Uma honra e não um fardo servir a Deus



Foto

DANÇA: um balé nas terras da magia e da fantasia


Releitura de clássico infantil vira musical inusitado pelas mãos do Studio de Dança Michelle Borges

Todas as aventuras vivenciadas pelas personagens que povoam a imaginação de várias gerações, que foram e continuam sendo embaladas pelas fantasias do "Mágico de Oz", musical adaptado da série "Terra de Oz", do escritor americano L. Frank Baum, ganham uma nova leitura no espetáculo "EnfeitiçadOZ", que promete revelar os segredos da obra original.

Todos os personagens da história original estão na montagem, mas novas nuances foram incorporadas ao roteiro: espetáculo ao vivo


Trata-se de "uma história por trás do Mágico de Oz, procurando revelar todos os segredos" que acontecem no desenrolar da trama, explica Giselle Bezerra, diretora artística e produtora do espetáculo cênico musical, criado para comemorar os 10 anos do Studio de Dança Michelle Borges. A pré-estreia aconteceu na última quarta-feira, no Centro de Convenções, com apresentação especial, gratuita, destinada a crianças e adolescentes assistidas por projetos e instituições.

Essas sessões prosseguem até hoje, esclarece Giselle Bezerra, justificando que o projeto conta com patrocínio do Ministério da Cultura (Minc). Por isso, toda a renda obtida com as apresentações abertas ao público, no sábado, domingo e segunda-feira, às 20h, serão destinadas a uma instituição a ser escolhida, que trabalhe com crianças em situação de risco e carentes.

Os ingressos custam R$ 10,00. As encenações especiais de pré-estreia vão contemplar 900 crianças e adolescentes, além de 100 acompanhantes, que terão direito a transporte e lanche. O musical conta com 40 pessoas em cena, atuando nas linguagens artísticas de dança, música e teatro.

Adaptação

Trata-se de um roteiro adaptado que conta a história secreta do clássico "O mágico de Oz" assinado por Giselle Bezerra. O ator e diretor carioca Rafael Greyck faz a direção musical e de teatro, enquanto Michelle Borges responde pela direção geral e a coreografia do espetáculo, que conta com 450 figurinos, além de efeitos visuais. Conforme Giselle Bezerra, o musical é "um presente aos alunos do Studio de Dança Michelle Borges", que completa 10 anos. Atuam bailarinos e atores a partir de 14 anos, todos da escola.

Giselle Bezerra lembra que o espetáculo foi montado há seis anos, como se fosse um festival de dança. Agora, é montado de maneira profissional, sendo trabalhado com muito cuidado. "Foi o primeiro grande musical de Fortaleza que, agora, ganha efeitos visuais", conta, admitindo que está emocionante a história que pretende desvendar todos os segredos do Mágico de Oz. O espetáculo é todo ao vivo, diz, completando que conta com apoio do Shopping Iguatemi e da Ceará Diesel.

Na história do "Mágico de Oz" todas as pessoas vivem em busca de algo. Quer um cérebro, um coração, coragem, ou o caminho de volta para casa. Para mostrar o outro lado da Terra de Oz, os alunos do Studio de Dança Michelle Borges, fundado em 2003, mergulharam numa aventura que resultou no musical "EnfeitiçadOZ". Para Giselle Bezerra, é claro que a bruxa que vivia na Terra de Oz também estava buscando algo, "além de um par de sapatinhos", brinca. Na realidade, até agora, ninguém sabia o que ela queria.

O "EnfeitiçadOZ" vai contar uma história que começa bem antes da pequena Dorothy ir parar na Terra de Oz, quando duas amigas bem diferentes se encontram, mostrando que fazem parte da trama também. "O público vai descobrir a verdadeira história do Mágico de Oz", promete Giselle Bezerra.

Mais informações:

"EnfeitiçadOZ", musical do Studio de Dança Michelle Borges. Dias 1,2 e 3 de dezembro, sempre às 20h, no Centro de Convenções (Av. Washington Soares, 1141).
Ingressos: R$ 10,00.
Contato: (85) 3262-5003

IRACEMA SALESREPÓRTER
Diário do nordeste